Ação na Rocinha inscreve moradores no cadastro de programas sociais

9 fevereiro 2012 | Notícias

CES_488211-300x198

 

Um posto de atendimento montado no Terreirão, na Rocinha, atraiu, durante todo o dia de ontem, cerca de 120 moradores para o cadastramento de famílias no Cadastro Único de Programas Sociais, que registrade famílias beneficiadas por programas de transferência de renda como o Bolsa Família e o Família Carioca, e para serviços prestados pela equipe do Programa de Saúde da Família da Clínica Maria do Socorro. O evento teve o apoio da UPP Social.

Celisio Werneck, gerente da clínica de família Maria do Socorro, conta que os agentes de saúde que trabalham na comunidade identificaram duas áreas vulneráveis atendidas por eles: Terreirão de Baixo e Aníbal. Tem gente que não consegue ir a consultas porque não tem renda, por exemplo”, diz Werneck. Então, com o apoio da UPP Social, pensaram nessa mobilização para o cadastro dos moradores nos programas de geração de renda. “É muito importante fazer o cadastro para o Bolsa Família, por exemplo. Além disso, estamos fazendo um trabalho orientação dos moradores e chamando a atenção para a importância da prevenção e não apenas o tratamento de doenças”, completou.

Um dos objetivos da equipe de saúde era identificar moradores hipertensos e diabéticos para fazer acompanhamento. Os moradores verificaram a pressão, mediram o nível de glicose, receberam kits de higiene bucal e foram orientados por dentistas. Também foram distribuídos preservativos.

Moradora da Dioneia, Áurea Lúcia de Paiva, de 60 anos, fez o exame de glicose. “Sou diabética, mas não estou acompanhando direito porque estou sem fita para o medidor”, disse ela, que está desempregada há um ano. Sabendo que ali também era possível fazer o cadastro de pessoas habilitadas ao Bolsa Família, entrou na fila para novo atendimento. “Já tentei me cadastrar uma vez, mas até hoje não tive resposta. E eu preciso muito, porque fui demitida sem ganhar nada. E ninguém quer me dar emprego, por causa da idade”, diz ela, que trabalhou 20 anos como cobradora.

Através do Cadastro Único, famílias com renda de até três salários mínimos podem ser identificadas, de acordo com o perfil, para serem beneficiadas por programas como o Cartão Família Carioca, da prefeitura, Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida, do governo federal, e Tarifa Social, da Light.

“O bom de estar em ações coletivas é que, quanto mais parcerias você faz, mais você gente você consegue atingir. E nós, que estamos aqui, trabalhamos todos com o mesmo público. O cadastramento é o primeiro passo para que as pessoas recebam os benefícios dos programas”, ressalta Sylvia Porto, que realizava o cadastramento.

Moradora da Rocinha há 10 anos, Leticia Ferreira, de 44 anos, ficou sabendo do plantão de atendimento por meio da agente de saúde que a tende e quis saber se poderia receber o Bolsa Família. Ela tem uma filha de nove anos e a renda gerada pelo trabalho do marido não é suficiente para sustentar a família. “Já tentei outras vezes, mas não consegui. Espero que desta vez dê certo. Seria ótimo poder dar um pouco mais pra minha filha”.

Maria Vieira, de 33 anos, também estava interessada no Bolsa Família por causa dos filhos. “Estou fazendo o tratamento de tuberculose. Não posso trabalhar. E o dinheiro me ajudaria muito, principalmente com o aluguel. Tenho dois filhos e sou sozinha. Dependo da ajuda da família”, diz.

Depois de cadastrados, os moradores receberam um Número de Inscrição Social (NIS). Por meio dele, cada programa tem acesso aos dados da família e avalia se ela se enquadra nos parâmetros do benefício. Para o Bolsa Família, por exemplo, uma das condições é a de que a renda familiar não ultrapasse R$140 por pessoa.

Mas também tinha gente interessada na casa própria. Valdiléia Ribeiro, 29, veio do Maranhão para a Rocinha há quatro anos e queria saber como podia se cadastrar no Minha Casa, Minha Vida. “Antes da pacificação queria sair daqui, mas agora quero comprar minha casa na comunidade mesmo”, disse.

Na próxima terça, dia 14, a ação será realizada no Lajão da rua 4, no Aníbal, das 9h às 14h.

TODO O CONTEÚDO DESTE WEBSITE ESTÁ LICENCIADO SOB A CC ATTRIBUTION 3.0 BRAZIL, EXCETO QUANDO ESPECIFICADO EM CONTRÁRIO E NOS CONTEÚDOS REPLICADOS DE OUTRAS FONTES.