Projeto promove saúde em comunidades cariocas

23 maio 2012 | Notícias | Território: Nova Brasília, Complexo do Alemão, Cidade de Deus

O projeto Academia nas Praças, da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, chegou à Via Ápia, na Rocinha.  Uma parceria entre a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, ONG Arte e Vida e Banco Santander possibilitou a instalação de equipamentos de musculação numa área de 24 metros quadrados, com grama sintética, seis bancos e uma mureta, que circunda a academia.

Para o coordenador do projeto, Manuel Coutinho, a ação é uma intervenção importante tendo em vista que, segundo ele, a população do Rio de Janeiro está passando da fase da fome para a da obesidade. “Nosso objetivo é facilitar a prática da atividade física saudável a uma população que geralmente não tem acesso a isso”.

Além da Rocinha, duas comunidades que já recebem a UPP -Cidade de Deus e  Complexo do Alemão- também contam com o projeto Academia nas Praças. Com aproximadamente 3500 inscritos, a maioria das atividades de musculação na Cidade de Deus é exercida por jovens. Caso de Johnny Pereira, que aprovou a iniciativa. “Muitos não têm como pagar mensalmente uma academia com essa estrutura”, explicou. No Complexo do Alemão a academia existe há um ano e a estimativa é que cerca de 4 mil moradores se beneficiam com o projeto.

Pedro Martins, professor de Educação Física e instrutor do programa Academia Carioca – outro projeto de promoção da saúde da Prefeitura com aparelhos de ginástica adaptados para a terceira idade – afirma que o projeto Academia nas Praças é um ganho a mais para a cidade. Porém, ele alerta para o cuidado com o excesso de exercícios físicos. “Para evitar lesões, é necessário que se respeite os limites do corpo. Se a pessoa está começando a se exercitar o ideal é que pratique aos poucos, duas vezes na semana. Caso esteja se sentindo bem, pode gradativamente aumentar a intensidade e a frequência do exercício.”, disse.

Para utilizar os aparelhos, o morador pode se inscrever gratuitamente nas academias munido de identidade e CPF. Depois de conhecer os equipamentos – cadeira extensora, mesa flexora, panturrilheira, barra, paralela, supino, máquina de supino, supino inclinado, remada, máquina de desenvolvimento para as costas e hack de agachamento (adequado para o desenvolvimento de pernas e coxas) – os interessados têm um prazo de 30 dias para entregar o atestado médico ao professor. Após responder a um questionário de avaliação de risco estarão autorizados à prática de exercícios físicos sempre supervisionados por um profissional de educação física.

 

TODO O CONTEÚDO DESTE WEBSITE ESTÁ LICENCIADO SOB A CC ATTRIBUTION 3.0 BRAZIL, EXCETO QUANDO ESPECIFICADO EM CONTRÁRIO E NOS CONTEÚDOS REPLICADOS DE OUTRAS FONTES.