Espetáculo “Funk Brasil” leva o gênero musical de volta à comunidade

7 agosto 2012 | Notícias | Território: Complexo da Penha

Funk Brasil 40 anos

Difícil encontrar quem não tenha ouvido pelo menos uma vez o “Rap da Felicidade”, um dos sucessos de Claudinho e Buchecha ou uma mixagem do DJ Malboro. Nos últimos 40 anos, o funk tornou-se uma das trilhas sonoras do cotidiano carioca, ganhou letras e ídolos nacionais e tornou-se hit tanto nas favelas quanto nas boates da Zona Sul.  Esta é a história contada em Funk Brasil – 40 Anos de Baile, musical que teve pré-estréia nas noites de 4 e 5 de agosto na  Arena Carioca Dicró, na Penha, articulada pela UPP Social. Senhoras idosas, crianças com brilho no cabelo, jovens e casais cantaram a trilha sonora da peça, que reúne 60 sucessos do gênero. “O funk tem o poder de integrar”, comentou o ator Marcelo Cavalcanti.

As apresentações emocionaram o elenco, que adorou ver o público da Penha aplaudir o trabalho em primeira mão. Depois de viver o papel do DJ Marlboro, Pedro Monteiro agradeceu  emocionado a presença do público que encheu a Arena na noite de sábado: “É a realização de um sonho”.  Idealizador do espetáculo e autor do texto com João Bernardo Caldeira, Pedro disse que as apresentações na arena foram especiais por trazer o funk de volta à região. “Proibir os bailes acaba com a principal diversão dos moradores da comunidade. Trazer o funk de volta através do teatro foi importante”, explicou.

O ator Alex Gomes, ex-morador da Penha, torce para que outros espetáculos profissionais sejam levados gratuitamente a Arena, espaço inaugurado em junho.  “ Ir ao teatro é uma coisa cara.  Mesmo com descontos, para uma família não saí por menos de  R$100. Fico muito feliz por levar o espetáculo para a comunidade”, afirmou.  Solange Ricardo,  moradora do Complexo da Penha,  também aguarda novos espetáculos. “Teatro é cultura. Ações desse tipo devem se repetir e esse foi o começo”.  Opinião partilhada por Odair Marques, da Vila Cruzeiro, que foi ao espetáculo com amigos e gostou do que viu. “ Foi muito bacana aprender sobre o funk”, opinou.

A peça conta a  trajetória do batidão desde a realização dos Bailes da Pesada, comandados pelo produtor Big Boy no Canecão, ainda nos anos 70. Inicialmente  importado dos EUA, o funk tornou-se trilha sonora do nascente movimento black nacional e se espalhou por clubes da periferia com a criação das  equipes de som. O gênero ganhou novo fôlego com as montagens de DJs, foi associado à violência urbana e mais tarde assimilado pela elite carioca, numa história que alternou momentos de estigma e de assimilação.

Funk Brasil – 40 Anos de Baile continuará em cartaz no subúrbio a partir de 9 de agosto, quando estréia no Teatro Miguel Falabella, no Norte Shopping, em Del Castilho.  De quinta à domingo, às 18h, o espetáculo terá ingressos a R$ 30. Diariamente, será oferecida uma cota de ingressos gratuitos para moradores de comunidades pacificadas.